Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Entrelaçar

Minha bela dionísia.
Minha bela, tudo passa.
A dúvida não passa
A dor de haver nascido não passa
Mas, o resto tudo passa.

Se há sorte e  destino
Tudo passa.
O riacho passa tortuoso
em direção do rio maior.
E esse procura o mar, para desabafar.

Se há males e ventura,
Se há prazeres e misérias
Sob esse límpido horizonte
No trote da carruagem de foro
Tudo passa.
Tudo passa.

A negra morte rouba-nos a esperança
Se Pandora não abrisse a caixa
Se meu coração não quedasse
diante dessas flores
de primaveras presumidas

O tempo corre sobre o corpo
entorpecido
E o cordeiro deitado levado à
sacrifício.
Não geme.
Morre cerimoniosamente.
Mesmo assim, tudo passa.

Ritos envelhecidos registrados
passam para a estória
tudo é lenda, é lindo, e fábulo.
Mesmo tudo passa.

A beleza fenece
A inteligência se apaga.
A memória falha.
Tudo passa
Menos a beleza sentida
de alma
que cabe secretamente
no entrelaçar de
dedos.
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 22/08/2007
Reeditado em 22/08/2007
Código do texto: T619362
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gisele Leite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1630 textos (3700664 leituras)
33 áudios (5054 audições)
25 e-livros (142811 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 21:53)
Gisele Leite

Site do Escritor