Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

poetamento

No meio do caminho havia a palavra
Mas a idéia varreu-se com o vento
Se era expandir
Ficou espalhar...

No meio do caminho havia o sentido
Esculpido na alma
E, antes da flor,
da primeira flor
Havia a primavera intrínseca

E no valor do frio
E dentro dos icebergs
Residia a vida
Cristalizada num inverno intenso
e sólido


Que se dilui aos poucos quando chega o
calor do verão,
O radiante sol de meio-dia
A projetar as gotas orvalhadas
A derreter as geleiras
de paixões extintas
A calota polar.

Aumentando o volume dos mares
Inundando ilhas,
Baixos terrenos,
Saudade remota

E bem no meio do caminho
Aquela palavra esculpida em minha boca
Não ganha voz

O silêncio das estações
observa as flores, os rigores,
os calores e o outono de meu corpo.

Estações da vida
Frutos colhidos saboreados
na infância.

Qualquer chance da natureza
registrada em nós
desenha uma eternidade
intrínseca e cruel.

Essencial:
Ser dentro doutro ser.




Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 04/10/2007
Código do texto: T681034
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gisele Leite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1629 textos (3699304 leituras)
33 áudios (5053 audições)
25 e-livros (142750 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 10:39)
Gisele Leite

Site do Escritor