Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

lirismo

no dia havia saudade da noite
na noite sem estrelas havia a solidão da lua
na tarde rubra
havia remorso pela preguiça

o corpo entregue a cama
sem tempo,
sem pressa,
nos lençóis sigilosos
que percorriam meu cansaço

havia tanto segredo num só dia
havia tanto rancor num só peito
que as reticências eram impropérios

durante a noite
carcomia minha raiva
olhando paredes, procurando livros
citações inúteis
de uma memória torpe

durante a madrugada
espreitava o primeiro raio da manhã
escorregando delicadamente a luz do sol
dourada e esguia penetrando pelas
frestas da porta,
pelas nesgas da cortina

o silêncio se torna alarido de passos
de carros, de estalos desconhecidos
a poesia se torna mito indevassável
desafio diário e triste
de quem sente saudade
de tudo que já passou

o dia não se repete,
a saudade não volta
e, no peito a congestão
poluída só faz doer
de tanto lirismo.
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 11/10/2007
Código do texto: T690530
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gisele Leite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1630 textos (3700540 leituras)
33 áudios (5053 audições)
25 e-livros (142771 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 17:50)
Gisele Leite

Site do Escritor