Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"A casa onde moravamos...saudades do passado"...

"A CASA ONDE MORÁVAMOS... SAUDADES DO PASSADO!"
                  Arneyde Tessarolo Marcheschi.



Algo me dói quando volto àquela rua
onde passei minha infância...
minha juventude... minha mocidade...
a casa dos meus pais...
Procuro, entre as paredes, as
lembranças do meu passado...
do meu ontem!
Sinto um frio intenso na alma
quando recordo
como fomos felizes naquela casa,
eu, meu pai, minha mãe, meu irmão,
pessoinhas tão especiais,
 que já não vivem no plano físico...
Partiram... deixaram saudades...
Cada vez que eu passo por ali
procuro ouvir os risos inocentes
da minha infância...
Vejo-me correndo pelas sombras
das frondosas mangueiras e goiabeiras
que embelezavam parte do nosso quintal.
Para nós, eram como pessoas da família.
Meu cãozinho Lassie, fiel
amigo e companheiro, que
participava conosco de todas as
nossas aventuras...
de todas as nossas brincadeiras...
Éramos muito felizes!
Parece que se eu fechar os olhos,
alguém me tomará pela mão e
me mostrará meu esconderijo....
lugar secreto que eu
descobri e onde me refugiava
quando fazia algo errado.
E como eu fazia!
Que menina levada eu era!
Jamais esquecerei uma tarde de domingo
enquanto meus pais faziam a sesta
e que coloquei meu pequenino irmão
em cima da mangueira , na parte
mais alta... e ele lá ficou por horas e horas,
já que não conseguia descer,
esperando meus pais acordarem para tirá-lo de lá...
E enquanto isso eu fazia meus planos
inúteis, que nunca davam certo.
Até que papai precisou chamar o
Corpo de Bombeiros para resgatá-lo.
A possibilidade do castigo me apavorava,
porque mamãe era muito severa,
mas meu adorado pai sempre
dava um jeitinho de me livrar
das punições impostas por ela.
O tempo foi passando,
eu cresci, tinha novos interesses e
infelizmente esqueci
de quanto era bom ser criança!
Os almoços felizes...
meu pai cúmplice em todas as brincadeiras
que eu inventava...  as tardes no terraço...
a visita dos meus primos,
pois todas as comemoraçõeS
eram feitas na nossa casa...
À noite, a despedida, o doce
abraço de amor que trocávamos,
e a promessa de retornarem
no próximo domingo ou feriado...
Quando passo em frente à casa
paterna, eu viajo... perdida...
assustada... confusa talvez...
Ali era o meu refúgio, o meu lar,
Era ali que eu vivia,
era ali que eu existia de verdade.
Ali eu me sentia querida... amada...
protegida... acariciada...
Hoje já não tenho mais ninguém
todos partiram... se foram... e
com eles se foi um pedaço da minha vida...
da criança que eu era...
Quando retorno àquela casa velha,
como um milagre ...
me sinto renascer... sinto que
sou criança outra vez!

Vitória.E.Santo 20/02/2000
www.vidatransparente.com.br

Arneyde Tessarolo Marcheschi
Consulesa da cidade de Vitória. Espirito Santos,
POETAS DEL MUNDO.

 












Arneyde Tessarolo Marcheschi
Enviado por Arneyde Tessarolo Marcheschi em 05/11/2007
Código do texto: T724338

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Arneyde Tessarolo Marcheschi
Vitória - Espírito Santo - Brasil, 68 anos
153 textos (4844 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 23:34)
Arneyde Tessarolo Marcheschi