Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

 


TRIBUTO A MARIO QUINTANA


Quintana foi o poeta do meu tempo.
Desse tempo que me resta para ler sua poesia.
Eu queria ser poeta e poder falar com as nuvens
No resplandecer do dia.
Descobrir nas borboletas uma razão de viver. Ser leve na irreverência, como ele sabia ser.
Sua poesia erótica não escandalizou ninguém.
Só Vinicius e Drummond falaram de amor tão bem.
Parafraseando Lavoisier, Mario você não morreu,
Transformou-se em passarinho
Que voa por entre as serras do lugar em que nasceu.
Desculpe poeta amigo, o atrevimento de quem
por entre rimas quebradas
Ousa falar de alguém que deixou pra eternidade
A obra maravilhosa, reconhecida nos pampas E em todo Brasil também. 



Hull de La Fuente
Março de 2005
www.usinadeletras.com.br

Hull de La Fuente
Enviado por Hull de La Fuente em 08/11/2007
Código do texto: T729458
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hull de La Fuente
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2667 textos (397872 leituras)
2 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 03:16)
Hull de La Fuente