Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Procura-se uma Mulher

Procura-se uma mulher que desapareceu.
Ausentou-se na intenção de cumprir a honrosa missão
que lhe fora designada pelos proclames do Alto.

" Cuide dos demais ", disse-lhe o oráculo.
" E não meça esforços. Desdenhe das adversidades ".
" Penetre no profundo das almas angustiadas,
  e lhes amenize as dores com seus bálsamos ".
" A cada uma, perfume com seus incensos. E com seus
  sorrisos, pois estes são imensos. Capazes de curar ".
" Não se importe de passar noites em claro, esqueça o
  cansaço. Doe energia aos que se encontram fracos."
" Alimente os tristes com a sua alegria. Preencha
  suas noites com os matizes do dia ".
" Pinte telas impressionistas nos vãos sombrios das
  mentes assombradas. Use suas tintas mais coloridas !"
" Reproduza magníficos Kandinsky´s, Girassóis de Van Gogh,
  suaves Monet´s ou alegres Renoir´s ".
" Expulse velhos fantasmas com gostosas gargalhadas ".
" Ouça aquilo que lhe for dito sem alardes. Calando
  qualquer assombro, pois terríveis podem ser as
  verdades que habitam o íntimo do outro ".
" Permita-se a plena aceitação de tudo que lhe parecer
  insólito e absurdo. A natureza humana é assim,
  surpreendente. Ora esfuziante, ora nefasta ".
" Acostume-se com o inesperado , pois este pode mostrar-se
  violento. Ou como dóceis violetas suicidas ".
" Acima de tudo, ajude sem julgar ".
" Mantenha-se serena diante dos apocalipses que vai
  presenciar, pois sua Paz deverá ser matéria prima
  para recompor emoções estilhaçadas ".
" Ensine os sobreviventes a recolher seus fragmentos. E a
  construir belos mosaicos ".
" Distribua generosas fatias de seu coração, e a vida
  que nele se manifesta e se reproduz ".
" Ame amplamente a todos, mesmo que isto muitas vezes lhe
  sangre o mais que delicado em seu íntimo" .
" Mas reaja a ofensas cruéis, pois são inadmissíveis.
  E mesmo assim, doída, procure pacificar".
" Perdoar incondicionalmente é fato indiscutível. Faça-o ".
" Acostume-se às partidas dos alegres. A maioria sequer
  se despede. E esquecem que deixaram mil tristezas em
  suas trêmulas mãos ".
" Quando sentir solidão e cansaço, substitua o desamparo
  pela dança dos leves. E prossiga... ".

Ela seguiu assim. Desarmada. Cumprindo sua missão.
Chegou a lugares tão distantes que perdeu-se de si mesma.
Isso já faz tempo, mas ela precisa ser encontrada o
mais breve possível.
Pois sua ausência é por demais inquietante.
E seu silêncio parece já portar o vazio da morte.
Seu tempo se esgota, mas há ainda muito o que viver.
Ela mesma disse. Avisou antes de partir.
Caso encontrem seus vestígios vagando pelas gentes,
por favor, tragam-na de volta. Mesmo aos pedaços.
Mesmo em escombros. Mesmo devastada.

Recebe-se por isso uma vasta recompensa :
Seus olhos novamente brilhantes e atentos.
Sua voz que remete ao mais puro acalanto.
A boca repleta de sorrisos. Inocentes e atrevidos.
Seu corpo e gestual em pleno movimento.
Os abraços apertados, beijos estalados, italianíssimos.
Ou o tom desconfiado. No olho que observa calado.
A extrema discrição do seu genoma meio mineiro.
Degustando vinho com pão de queijo !
Aquele jeito de eterna adolescente.
Muitas vezes interessante. Em outras, insuportável.
Os cabelos castanho-dourados entregues ao vento.
O olhar estendido até o mar. Seu jardim líquido e imenso.
Suas mãos plenas de incansáveis carinhos.
Seu coração intenso, que avassala e enternece.
A paixão pela Arte que quase a enlouquece.
Sua sede imortal de aprender o mundo.
Aquela curiosidade que não cessa.
Aquele prazer saciado sem pressa.
A quase falta de medo, que só se contenta no que é profundo.
Aquela verve espontânea, que pode irritar ao máximo ou ser
absolutamente cativante.
Que parece indecisa, mas sabe bem o que quer.
O seu zelo pelos amigos. Próximos ou distantes.
E o binômio mais importante :
Na aura de criança, essências de mulher...

Claudia Gadini
17.03.2006
Claudia Gadini
Enviado por Claudia Gadini em 17/03/2006
Reeditado em 05/05/2006
Código do texto: T124686

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Claudias Gadini). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Gadini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
318 textos (54197 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:02)
Claudia Gadini