Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Surpresa da Revelação

Foi uma estranha revelação aquela que me fizeste, meu Amigo...
Fiquei assustada porque não sabia o que fazer, acho que foi da surpresa que senti em relação à dimensão de tudo aquilo que percebi que sentias...Pensei no meu confidente e na voz da minha razão e não entendi onde foi que te perdeste...
Mas não quero ficar em silêncio sei o quanto isso doi, por isso dedico-te estes versos que não são de Amor mas são de Amizade...
Pois Tu sabes que o meu coração tem dono...


Ouço e leio as palavras que me dizes
São um doce e suave devaneio
Coisas tão belas e sentidas
Eu te agradeço o carinho e Amor
Ao contrário do que dizes não sou
A mais divina das divinas
Ou tão pouco meu querido
A mais sublime das sublimes
Sou apenas uma menina apaixonada
Pelo sonho de ser Feliz

A dimensão do teu sentir é bela
Por isso não te quero magoar
Iludindo em falsas esperanças
Que não consigo concretizar
Pois sei que para quem ama
O silêncio é um punhal cruel
Por isso te confesso
Que o meu coração tem dono
Não sou correspondida nessa doação
Sei que o meu sentimento vai morrer
À beira da praia pois o mar não me quer
Mas ainda assim não consigo virar costas
Voltar até à areia e descansar

Não te quero fazer sofrer
Por isso te falo com devoção
Acredito que juntos
Vamos conseguir arrancar essa paixão
E voltarás a ver-me como sempre viste
Uma amiga para ter no coração

És o meu confidente
Anjo protector
Voz que escuta os meus lamentos
Mas estou presa a um sonho
Que parece uma teia
Envolve-me e puxa-me
Cerca-me e preenche-me
Faz parte de mim
De uma tal maneira
Que dói
Que queima
Que consome
Por ser a força poderosa do Amor
Num jogo de principes e princesas
Sou bruxa sem vassoura
Com lágrimas de sangue
Que escorrem a face

Estarei aqui como sempre estive
Para te ouvir, para te falar
Não te vou ignorar ou tentar desaparecer
Sei que doi sentir quem se ama fugir
Por isso fico aqui

Sei que não escolhemos quem amamos
Porque o coração é livre
Sei que nunca te teci nenhum fio de esperança
Mas compreendo-te
Talvez porque eu ame outro alguém
Com a mesma intensidade que Tu
E sei como custa que nos deêm a indiferença
A ausência e o vazio
Quando se deseja a companhia
Sendo a lembrança profunda tortura
Uma vez que é passado e não presente

Mereces ser feliz
Por isso voa até à Luz
E encontra um anjo
Que te tome nos braços
E te dê Amor

 
Sonya
Enviado por Sonya em 30/06/2006
Reeditado em 04/08/2006
Código do texto: T185116
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sonya
Portugal, 34 anos
170 textos (17297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:07)
Sonya