Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A MORTE DE UM SONHADOR POETA

A ti, a mais sublime entre as sublimes
A MORTE DE UM SONHADOR POETA

Li em tempos uma frase
Que dizia
Que quando morre o sonho
Morre a esperança
Quando morre a esperança
Já não há grandeza

Continuo a acreditar
Mas hoje uma parte de mim
Morreu
Quando da tua boca
Saíram palavras honestas
Que me estão a matar

Sinto que não acreditas
Na verdadeira dimensão do que sinto
Ou se acreditas
Não vez a amplitude de sentimentos
Que nunca tive
Nem quero ter por mais ninguém
E tal não lamento

Foste e és a primeira
E hei-de esperar por ti até à eternidade
Não acreditas
Mas esta é a minha mais pura verdade

Vi infernos
Na terra e nos céus
Venho de um lugar
Onde nada há
Nem mesmo Deus

Deixei de em tudo acreditar
Até DE por ti
Me apaixonar
Estive no paraíso
Voltei ao inferno
Porque o sonho tive de enterrar
Mas não me peças
Para apagar o futuro
Vivo nele
Porque nada tenho do presente
Pois ele para mim
É ausente
Gostava de gostar de ti
Apenas como amiga
Mas somente…
Não consigo
Numa terrível luta
Dentro de mim
Com resultado terrivelmente incerto
Deuses e demónios
Lutam pela minha alma
Que está no purgatório
Num deserto
Mas queria apenas dizer-te
Que te amo
Que te queria por perto
Nesta noite terrível
Em que morreu a minha força secreta
Nesta noite terrível
Que marca o início
D’

A morte do sonhador poeta

Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 06/07/2006
Reeditado em 07/07/2006
Código do texto: T188935

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5077 textos (170350 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:28)
Miguel Patrício Gomes