Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHAS MÃOS ESTÃO SUJAS




Minhas mãos estão sujas
Dos pecados que te acometi
Minhas mãos vão nuas
Como de mim tudo o que perdi.

Meus dedos são garras
O pouso de minha mão
Traz o toque da morte com ela
 E eu apelo à razão
Que me leve junto a ela
Sem apelo nem comoção.

Todo eu sou sombras
Coisa informe e delicada
E quanto mais eu me conheço
Quanto mais não me mereço
Mais e mais me envelheço
Para esta vida pouco mais
Que nada..

Ah, que se me cegassem os olhos
O dia em que te vi
E que as mãos me dormissem
Ao chegar-me junto a ti –

Como não há razão
Que não supere a emoção
Outro tanto de felicidade
Esquecida na saudade.

Mas ah, tu vinhas tão linda,
Nobre, o traço esmiuçado
Que eu logo supus morrer
Para não te dar agravo
Desse teu viver.


Jorge Humberto
27, Setembro, de 2005
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 10/07/2006
Código do texto: T191217
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66669 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:16)
Jorge Humberto