Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sina

                                                       
NA MADRUGADA, SAIO À RUA

BRUMA FRIA, CÉU ENCAPELADO

AR DENSO, ESTOU DESOLADO.

GALHOS DAS ÁRVORES SACODEM

PARECE SOLUÇOS DOS QUE SOFREM

TAL EU, NO PENSAMENTO

IMAGINANDO O DESDITO MOMENTO

QUANDO SEM PENSAR

POR TI, FUI PERDIDAMENTE APAIXONAR

TRAGO AGORA , DA TAÇA, O VENENO

AMARGO E CRUEL

QUAL FEL

VOU SORVENO.

DESDITA,

MALDITA,

INFORTUNADA OCASIÃO

QUE A TI ENTREGUEI MEU CORAÇÃO.

AGORA, A LAMENTAR, SOFRER

POIS SEM QUERER

ÉS MINHA TERRÍVEL PAIXÃO.

SE SOUBESSE, SE PROVA TIVESSE

TENHO CERTEZA DE SUA COMPREENSÃO

MESMO QUE MINHA, FOSSE, NÃO.

UM SORRISO, UM GESTO

SERVIRIA PARA FICAR MAIS QUIETO.

E ENTÃO,

ME DÁ SEU PERDÃO ?
GDaun
Enviado por GDaun em 15/08/2006
Código do texto: T216774

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GDaun
Lupércio - São Paulo - Brasil, 72 anos
653 textos (43010 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:02)
GDaun