Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
elegia

...

nesta hora o mar tem expressão taciturna
à orla, fria, marejam tristes vislumbres:

densa margem de aljôfares rubros
permeiam o cintilar, débil, da lua
a inibir centelhas... ofuscando três-marias

à torre o submisso ponto iluminado
o farol e a imensidão
num pacto embriagado

a água salgada lambe os pés da espera
cresta de frio o adentro do dia

a solidão se aglomera, úmida entre as pedras:
rejuntes de prantos a asfixiar carência

o mar é cúmplice a recolher lágrimas
a irmanar o sal, o exílio e a ausência...

a noite veleja inalterada às sombras
de águas funéreas e os sargaços crescem pardos:
agasalham o silêncio das pedras

a lua míngua etérea
em panos anoitecidos...

no mar em transe
singra a esquife:

'ophélia' abraçada aos ramos
da saudade


marcia eduarda
Enviado por marcia eduarda em 22/09/2006
Reeditado em 22/09/2006
Código do texto: T246576

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (márcia eduarda®). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marcia eduarda
São Paulo - São Paulo - Brasil
534 textos (16560 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 18:43)
marcia eduarda