Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

II Guerra sou Humano


(Estrada Humana – Otávio Costa)
                 

Sinto-me um convocado, na fileira, pronto para ir à guerra,
Ou para um dos “campos de concentração” do III Reich.
Foi acionado no homem um dispositivo constituído de destruição.
Afinal somos da raça humana,
E não fosse Deus, não sei o que seria de nós.
As armas não são minhas forças,
É na certeza da paz que está minha luz.
Encurralado nas paredes do pensamento,
Tudo o que resta é nada.
- Rapaz quem é você?
- Um ser humano, com direitos escritos em livros,
E de assegurado apenas a certeza que a impunidade
Vem antes dos direitos (humanos e constitucionais)
Laçado pelos heróis condecorados com patentes e medalhas
Que fez selvagem o homem,
Após o silêncio de Hiroshima.
-Quem sou eu?
- Sinceramente não sei. Procuro-me entre as pilhas de cadáveres
Devorados pelas mãos irmãs,
Semelhantes que como eu também tinha sonhos e ideais.
- Procuro-me entre os oficiais escolhidos para liderar manobras brutais
Que fizeram de inocentes, moribundos esquecidos...
Nos campos onde antes se semeou o trigo.
Imaginar não se pode,
O mundo foi pequeno para tamanha estupidez,
Contudo foi palco,
Do clamor e do sangue derramado de vidas.
Passam os anos e o muro até pode ter caído
Mas as cicatrizes de Awshivitzs permanecem,
Um silêncio sem vingança...







Estrada Humana
Enviado por Estrada Humana em 06/10/2006
Código do texto: T258082

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Estrada Humana
Serrinha - Bahia - Brasil
126 textos (15284 leituras)
16 e-livros (1532 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:19)
Estrada Humana