Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Regredindo

Vi tua sombra se aproximar da minha vida,
Senti o frio olhar distante me calar as vistas
E o respirar suave a penetrar meu olhar vazio.

Tuas mãos se aproximaram e fecharam-me os olhos
Tornando breu meu mundo desconhecido
E revelando a mim o sabor do mistério.

Meu corpo seguro pelo solo tão sagrado
Sentia o frio de um enigma há muito esquecido
Mas a cada respiração sentido, eternizado a cada sono.

Sua voz era clara e doce em meus sentidos.
Em seu colo, senti frio e proteção
Paz de um tempo que não conheci.

Mergulhei na tua contagem decrescente
E nadei por lugares vazios e densos
Vastos campos verdes da minha mente.

A porta se abriu e vi a mim mesmo diante de si mesmo.
Os ponteiros giravam ao som de sua voz sussurrada
E me faziam sentir o que era irreal, mas verdadeiro.

Escolhi a porta da esquerda por razões desconhecidas
E nela vi o vazio do meu mundo de lembranças
Voava eu por nuvens douradas num azul profundo de céu.

Fechei a porta, o mundo era silêncio e calmaria.
Na direita a porta revelava o branco, o tudo e o nada.
Ar de neutralidade e decepção levaram-me de volta ao relógio.

Vi os ponteiros outra vez em marcha, tão tristes.
Deixei para trás a porta aberta e dentro da sala meu enigma
Jogada ao chão, ficou a vida em campos verdes.

Deixada no toque neutro de suas mãos,
No teu olhar confuso e sábio.
Nos teus lábios
Em mim.
Alex Dumal
Enviado por Alex Dumal em 18/10/2006
Reeditado em 12/09/2008
Código do texto: T267082

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alex Dumal
Guara I - Distrito Federal - Brasil, 38 anos
43 textos (1460 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:56)
Alex Dumal