Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LINHA DA ALMA



A LINHA DA ALMA
 
Entardece... Lá o amor acontece.
Insistem as estrelas em vir à terra.
A noite vem e o corpo entorpece;
Nessas horas quase tudo emperra.
 
Mas o amor é, quando anoitece
E traça uma linha que se imagina...
A ligadura da alma que não esquece
Nem com o cheiro da mescalina.
 
Logo depois o amor amanhece
Sob o lençol desarrumado, sutis odores.
Um café na cama, um beijo e desce...
Da manhã, tarde, noite dos amores.
 
É a mesmice do amor que entristece
Quando perde o suave gosto de maçã,
Ou a dourada fonte que envelhece,
Perde brilho, novidade, cheiro de hortelã.
 
Lá o amor chora e na solidão padece
É folha murcha no fim da tarde
Lá, onde amor e dor... Cada um acontece
Chorando no peito do homem covarde.

 
WalterBRios 14 de março de 2005
Walter BRios
Enviado por Walter BRios em 19/10/2006
Reeditado em 19/10/2006
Código do texto: T268320
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Walter BRios
Salvador - Bahia - Brasil, 61 anos
358 textos (13845 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:44)
Walter BRios