Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

João de Barro e o malvado:


O João de Barro,
Lá no moerão da porteira.
Construiu a sua casa,
E foi viver com a sua companheira.

Mas um malvado, que se dizia humano.
Com o João foi desumano e sua casa derrubou
O pobre João, construtor por natureza.
Apesar de sua tristeza, nova casa levantou.
Mas o malvado não se sentindo contente
Voltou lá novamente e sua casa desmanchou.

O João de Barro, que a tudo aquilo assistia.
Com tristeza ele se via, morrendo aos pouquinhos.
Desesperado e com dor no coração
O João via pelo chão o que restou de seu ninho
Via o malvado, que feliz gargalhava.
Com prazer ele matava, um por um de seus filhinhos.

O João de Barro, que jamais chorou na vida.
Chorou naquele dia, ao sentir-se um desgraçado.
Mas Deus é grande, e todos nós sabemos disso.
Quem aqui pratica o mal, aqui vai ser castigado.



Balneário dos Prazeres: 29/10/2006








Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 01/11/2006
Reeditado em 09/04/2007
Código do texto: T278959
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147484 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:38)
Volnei Rijo Braga