Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um ano de solidão

Introdução.
Perder alguém que se ama é profundamente doloroso.
Há que se perguntar se a dor maior é perder repentinamente ou através de uma "morte anunciada"... Não importa. Ela, a morte, traz no seu bojo o desmoronar de muitas vidas.


Uma suave rotina
Envolvia nossas vidas
Mas, traiçoeira neblina
Encobria, lá na esquina
Cruéis, atrozes feridas

Ela entrou devagarinho
Quase miniaturizada
Instalou-se de mansinho
Alojou-se, num cantinho
Como quem deseja nada

Aos poucos manifestou-se
Mostrando, enfim, a que viera
Muitas dores, choros trouxe
Com sonhos, planos,  chocou-se
Várias vidas desespera

Chegando ao fim da estrada
Como extrair alegria
De uma morte anunciada?
Mas, co'a vida condenada
Muito amor, carinho, havia...

O futuro a naufragar
Esposa? Amigos? Filhos?
Pode-se a morte driblar?
Lembro ainda o seu olhar
Triste, soturno, sem brilhos

Prá buscar consolação
Levei-o por trilhas, parques...
Soluça o meu coração
Plageando Garcia Marques:
"UM ano de solidão"
Serelepe
Enviado por Serelepe em 12/11/2006
Reeditado em 18/11/2006
Código do texto: T289263

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Serelepe
Curitiba - Paraná - Brasil
552 textos (36123 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:16)
Serelepe