Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CÁRCERE!!!



A cada dia que sobrevivo, cismando com a vida,
Adormeço embebido na duvidosa
Expectativa do amanhecer.
Aqui, nem sempre o sol brilha.
Sombras do mal interceptam o sol.
Nuvens negras desprovidas do bem,
Coordenam-se e se projetam sobre mim,
Imputam-me atos impraticados
Numa conspiração pegajosa e febril.
Entre grades da discriminação,
Sinto-me sóbrio e inatingível.
Minha porção de paciência se estende.
Não que assimile o conformismo.
No sistema o “proceder” vale a vida.
Enquadro-me sem ser enquadrado.
A espera ociosa retarda o tempo;
Distanciando algumas esperanças contidas.
Meu mudo coração não se manifesta,
Abstendo-se de pronunciamentos infrutíferos.
Todavia, está sempre atento, em longa espera;
Incansável, aguardando a igualdade dos homens.
Suplanto a dor; que rosna incontida,
Verificada no descaso ao direito adquirido.
Vez por outra, chego a pensar;
Que o tétrico destino resolveu me poupar.
               

Paulo Izael
Enviado por Paulo Izael em 03/08/2005
Reeditado em 03/08/2005
Código do texto: T39972
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Izael
São Paulo - São Paulo - Brasil
206 textos (27425 leituras)
1 áudios (171 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:15)
Paulo Izael

Site do Escritor