Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA INDEFINIDO

 
POEMA INDEFINIDO
 
CeresMarylise


Empresta-me teu ombro, meu poema,
para um breve descanso nesta chuva
e que descalça eu possa te regar
com esta água que desce mansa e pura.

Já não sei se é a força destas veias
o verdadeiro rumo de minha história.
Se posso confiar nas letras que se trocam,
como se trocam as vivências na memória.

Se eu te necessito e em ti me apóio,
desesperadamente eu te retenho
e a ti recorro numa urgência insone,
mesmo que saias triste e indefinido.


  20/07/2005

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ceres Marylise
Enviado por Ceres Marylise em 17/08/2005
Código do texto: T43123
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ceres Marylise
Itabuna - Bahia - Brasil
38 textos (1653 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:54)
Ceres Marylise