Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TENTANDO LACRIMEJAR MINHA SOLIDÃO!




No despontar morno do alvorecer,
Ouço o chamado que vem do mar.
Vagas palavras sussurradas,
Murmúrio em prece que fenece no ar.

Enfurecido, o mar lambe a areia da praia,
Tentando lacrimejar minha solidão.
O choro incontido em gotas salgadas,
Preenche de angústia minha aflição.

Haverá desilusão capaz de suplantar
A profundeza deste clamor,
Provinda de vozes tão sofridas,
Submersas, interceptando nosso amor?

Novamente a dormente chuva desliza
Feito perfume da doce flor,
Faz com que o vento arraste o vazio,
Amenizando a dor no peito que o tempo deixou.

Olho o brilho da lua e te vejo refletida nas ondas.
Enciumado, o mar revolto, faz espanto.
Caio numa enigmática reflexão e descambo.
Chego a duvidar que tenha te amado tanto.
Paulo Izael
Enviado por Paulo Izael em 29/08/2005
Código do texto: T46106
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Izael
São Paulo - São Paulo - Brasil
206 textos (27424 leituras)
1 áudios (171 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:48)
Paulo Izael

Site do Escritor