Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando, ali, me libertava

Ali eu estendia-lhe os braços
Sedia-lhe minhas lágrimas puras
Para que? Por que meus pedaços?
Junto, sou mais ternura.

Libertava-me sob tua frieza
-Que agora não tanto quanto a minha-
Deslumbrava tua singular beleza
No ar da despedida provinha.

Não me emocionava, não me sentia
Traduzi minha dor nas lágrimas
Por me perder, ela mais que perdia
Eu era pedra e seu coração era lástimas.

Estranho dizer-lhes, leitores
Ainda mais vindo de mim tal palavra
Mas me senti 'feliz'. Pelos temores,
Que ali, agora, eu libertava.
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 12/09/2005
Código do texto: T49856

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
958 textos (30828 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 21:30)
Júnior Leal