Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

autópsia do sonho

Morbidas são as lembranças

do enterro de meus sonhos

São armadilhas disfarçadas em sorriso

Um envenenamento diário

Apenas o padre e o coveiro

Após a última porção de terra

O padre ergue a batina

E pade para ser penetrado com a pá

Nem uma garoa nem um céu cinzento

Alguns anos à frente

Vem uma menina que amei

E aponta meu epitáfio(com foto talvez)

Veja mãe,como morreu jovem

E a mãe explica:

Este ai é aquele menino que se matou

e ninguém sabe porque.
pedro carmo
Enviado por pedro carmo em 30/09/2005
Código do texto: T55153
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
pedro carmo
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 34 anos
172 textos (5174 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 15:02)
pedro carmo