Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O JARDINEIRO SOLITÁRIO

ROSAS QUE NINGUÉM ROUBA

NINGÉM DÁ DE PRESENTE

COM ESPINHOS QUE FURAM MEU DEDO

E FAZ SAIR UM SANGUE SEM COR

UM JARDIM SEM ANÕES

SEM ABELHAS OU BEIJA-FLOR

REGADO COM LÁGRIMAS

DE UM JARDINEIRO SOLITÁRIO

QUE SABE QUE SUAS ROSAS

TÃO SEM COR QUANTO SEU SANGUE

TERÃO UTILIDADE PARTICULAR

DENTRO DE POUCOS DIAS

PARA COLORIR SUA DESPEDIDA.
pedro carmo
Enviado por pedro carmo em 05/10/2005
Código do texto: T56801
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
pedro carmo
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 34 anos
172 textos (5174 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:24)
pedro carmo