Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A moça em prantos

Os choros de quem se põe a chorar
é um pranto que se põe a prantear.

Os olhos ficam marejados
o coração apertado.
 
Oh, moça, que total langor!
De onde vem essa dor?

É a rosa? É o espinho? É a flor?
- Não! Então é amor?

Que desalento desesperado e melancólico.
Há uma lágrima que nem ao menos é um tom simplório.

Por que, moça, o alarde de seu pranto?
Oh, moça, por que chora tanto?

- É que tudo perdi e tenho vontade de morrer!
Não de amor, mas de tudo que o mundo me pôs a viver!


Publicado no meu primeiro livro solo, "Ensaio Poético" (ed. Virtual Books).
Para aquisição, envie e-mail para:

tuliordrogues8@gmail.com
ou acesse: http://poetatuliorodrigues.blogspot.com/
Tulio Rodrigues
Enviado por Tulio Rodrigues em 24/08/2007
Reeditado em 22/01/2010
Código do texto: T621407
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Tulio Rodrigues - http://poetatuliorodrigues.blogspot.com/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tulio Rodrigues
São Gonçalo - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
109 textos (5815 leituras)
9 áudios (308 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:24)
Tulio Rodrigues