Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESATINO

… … … … …
Olho para um céu tão estrelado…
Tomara eu lá ter nascido…
Poderia ter o que não me foi dado
Poderia ao menos ter sabido
Que a vida é bela num lugar…
No céu tão puro e tão cheio
Desses seres que são astros a brilhar
Com um fogo que nem sei de onde veio…

… … … … …
Deus… como amo o que me rodeia…
É tudo tão melhor do que eu…
É tudo tão melhor que esta ideia
Que agora em mim nasceu…

… … … … …
Ideia?… Quis dizer ilusão…
Como se pode chamar ideia
Ao que é dito sem razão…


E a vida continua tão cheia
De almas que a querem viver…
Dêem-lhes razão … já é um crer
No poder da vontade humana
Que existe se existe quem ela ama…


… … … … …
O céu cobriu-se tão rápido
Que nada vale ficar a olhar…
Acho que não há nada de mais válido
Do que deixá-lo e continuar…

… … … … …
Se soubessem a vida que ele tem
Nem queriam lá nascer…
Mas eu nunca encontrei alguém
Que gostasse de tudo o que pode ter…
Gilberto Cardoso
Enviado por Gilberto Cardoso em 05/09/2007
Reeditado em 05/09/2007
Código do texto: T639987

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gilberto Cardoso
Portugal, 48 anos
91 textos (2874 leituras)
1 e-livros (54 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 04:41)
Gilberto Cardoso