Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALMA SOLITÁRIA


ALMA SOLITÁRIA

Um frio enrijece o corpo, arrepios
Assolam a velha alma, a visitar-me
A morte, negro cajado, calafrios
Percepção, sentir o invisível aproximar-se

Ossos doídos, desgastados pelo tempo
Uma camada de ferrugem os consome
Nos ganchos a carne exposta, enquanto
O sangue que era vermelho empalidece

Eis a real falência de um ser
Uivos de um lobo solitário a sofrer
Ecoam na neblina obscura, o padecer

Pelo bosque da incerteza a perambular
Sei não irei sobreviver e a lamentar
Derramo lágrimas que tu nunca vais ver!


Tânia Mara Camargo
Enviado por Tânia Mara Camargo em 11/09/2007
Código do texto: T647581
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Mara Camargo
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 60 anos
508 textos (17574 leituras)
7 áudios (417 audições)
1 e-livros (32 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 09:11)
Tânia Mara Camargo