Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Talvez amanhã...

Amanhã pode ser um dia bom
Mas ninguém pode me garantir
Amanhã talvez possa ficar, ou fugir,
No amanhecer,
Daquilo que não sei entender...
Amanhã, é, talvez esquecer...

Que as coisas não foram com eu quis
Que os planos
Que fazemos
Não somos nós que os executamos
E que uma força contínua
Está sempre nos dominando,
E vamos por onde nem pensamos...

De repente a árvore seca as folhas
E no rosto secas desertificam o olhar,
E sem saber por aonde vamos,
Às vezes bate um desespero,
E eu, eu particularmente,
Sinto uma imensa vontade de chorar...

Eu olho pros lados
Há pessoas em todo lugar,
E desvio os olhos
E me desviando delas
Eu vou a caminhar,
E sigo um caminho
Impulsionado por uma vontade
De me dissipar...

E quando isso acontece
Faltar o ar é o que parece
E eu levanto a cabeça
E olho pro céu
E espero a noite chegar...

Fico admirando a beleza
Da ordem desordem das estrelas
À infinita distância,
A distância que não posso alcançar...

E tudo se transparece
E penso que encontrei
O porquê daquela vontade
Que me fez distanciar-me
Daquelas pessoas tão boas e normais
Que estavam a me cercar...

Olhando o céu daquele jeito
Tantas estrelas a brilhar,
Uma luz que vem de tão longe
De um passando que não se pode alcançar...

Eu penso que entendi
Eu penso que me compreendi
Pelo menos ali
No meio-fio de uma calçada
Numa rua erma
Sem a possibilidade
De passar ninguém...

Nem mesmo um gato noturno
Daqueles de cenas de terror,
Apenas eu ali,
Ali no escuro penso me identificar,
Não com o brilho daquelas miríades de estrelas,
Mas com a escuridão
Que está a separá-las,
A torná-las raras,
Porque, se olhares bem,
O céu
Não seria tão lindo
Se não fosse a imensa escuridão...
E às vezes é nisso que penso,
Que também é assim meu coração.

É, amanhã talvez seja um bom dia,
Um bom dia para tudo terminar...
Sebastião Alves da Silva
Enviado por Sebastião Alves da Silva em 23/09/2007
Reeditado em 23/09/2007
Código do texto: T664875
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sebastião Alves da Silva
Imperatriz - Maranhão - Brasil
695 textos (27716 leituras)
2 áudios (87 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 13:14)
Sebastião Alves da Silva