Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O POETA DA MONTANHA

Cada vez que isso me acontece
sinto que minha mão estremece,
ja não sinto, emoções tão delirantes...
Aquilo que foi por um tempo só euforia,
hoje deixa minha alma tão vazia
e não chega, só por alguns instantes...
Vejo-me sozinho, nessa grande avenida
onde a lembrança não foi esquecida,
foi onde perdí, o gosto pela poesia...

Nessa ânsia que me é tão extrema
que foge,a inspiração para o poema,
e acredito...Que deixarão de existir...
Desde que essa tristeza para aqui veio,
nem poesias antigas mais leio,
estou proibido, de textos produzir...
Minha falta de estímulo e tamanha,
nada mais escreverá, o poeta da montanha,
ou sairá tudo, sem começo, sem fim...Sem meio..

Sinto que o pensamento esta sombrio,
não ouço mais, o murmuro do rio
nem o som choroso, da cachoeira do lago...
aquele som que em minha mente rugia
acho que foi embora com a ventania
deixando comigo...Um espaço tão vago.
Sentindo, vejo o fim desse trovador
a não ser, que apareça algum amor,
para em minha alma...Reparar esse estrago...
GIL DE OLIVE
Enviado por GIL DE OLIVE em 25/09/2007
Reeditado em 19/03/2009
Código do texto: T667927
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GIL DE OLIVE
Campos do Jordão - São Paulo - Brasil
2600 textos (230413 leituras)
31 e-livros (2315 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 15:01)
GIL DE OLIVE