Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRANSFORMAÇÃO

Da minha própria voz,
não escuto o eco.

Como perdido, grito em vão.

Paro e penso, será que peco,
para viver em constante solidão?

As montanhas que existem no mundo,
tento passar, mas tudo em vão.
Olho para baixo vale profundo,
passar não dá, voltar então.

Deixo o corpo, vôo em espírito,
procuro  então ver o outro lado.
Apavorado,  eu  sempre  grito,
não conseguindo,volto cansado.

Grito pro mundo me escutar,
a voz se perde sem ressonância.
Neste momento começo a chorar,
pedindo e chorando como criança.

Criança que sou no mundo de agora,
sinto-me só e sem ter uma mão.
Sigo andando pelo mundo afora,
sem rumo e destino, sozinho então.

Penso em morrer, deixar este mundo,
procurar as promessas do outro lado
Mas  sinto-me fraco, o vale é profundo,
eu  esqueço as promessas e fico parado.

Parado, olhando  o horizonte,
o sol se esconde no entardecer,
a lua aparece lá muito distante,
o brilho opaco, mal dá para ver.


Outro dia e o sol brilhará,
e a lua irá,  embora  então,
novamente voltarei a gritar,
gritarei bem alto,como trovão.

Eu quero e posso, vou conseguir
mudar meu destino, se ele existir,
não importa o tempo que eu gastar,
o que mais importa  é  eu chegar lá.

Na imensa esfera de um  novo porvir,
à espera constante do novo amanhã.
Da vida fugaz, eu  até posso sorrir,
sem ter que chorar  e  a mente sã.

Nascer ou morrer isso tudo é igual,
depende apenas de quem pode ver.
Tudo faz  parte  do mesmo caudal,
de um lado e d’outro, tudo é viver.

Quem poder entender a grande verdade,
escondida por traz na história humana.
Não se prende a aspectos da falsidade,
lê nas entrelinhas  e nunca se engana.

   15/10/83
Vanderleis Maia
Enviado por Vanderleis Maia em 11/11/2007
Código do texto: T733114
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vanderleis Maia
Imperatriz - Maranhão - Brasil
1412 textos (112338 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 17:02)
Vanderleis Maia