Capa
Cadastro
Textos
┴udios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

╔ isto meu amor

Em silêncio respeito a tua voz
Estática permaneço na mudança atroz que me trouxeste
À vida
Ao olhar
E a este ar inerte e alma melancólica…
Fico aqui,
Corpo presente, alma ausente,
Coração em viagem
Ainda vivo
Preso ao teu num tempo que já seguiu caminho ,
Um caminho distinto do meu
E no meu, meu amor
Não existem jardins imensos, apenas lamaçais
Não há árvores de fruto, somente folhas secas
Sem grãos de milho que me indiquem caminho.
No meu, meu amor,
Não há nada
Apenas um vazio imenso
Um frio que me perturba
Umas sombras que me deixam louca
E vozes que me enganam e perturbam.
No meu, meu amor
Nem pedras há para que eu caia e me levante
 Mãos para que eu me agarre
 Bengalas ou suportes para que eu me segure.
Não há neve
Nem há mar
Isso era no tempo dos sonhos
No tempo que ainda eu via através de uns olhos verdes
Num tempo que hoje até a memória me roubam.
É isto meu amor,
É isto o meu destino
Tão só,
Tão triste e lúcido
Porque me perdi de ti
Largámos as mãos à força sem explicação
E os nossos caminhos tão hoje distantes
Hoje eu vejo sozinha a terra
E tu, anjo que outrora me embalou, vês o céu!

Joana Sousa Freitas
Enviado por Joana Sousa Freitas em 20/11/2005
Cˇdigo do texto: T73958
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joana Sousa Freitas
Portugal, 40 anos
118 textos (7240 leituras)
(estatÝsticas atualizadas diariamente - ˙ltima atualizašŃo em 10/12/16 08:52)
Joana Sousa Freitas