Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Paredes, rascunhos e silêncio

Fico sem coragem…Estática!
Fico parada, fria, um pouco trémula,
Reflicto o momento certo na hora errada,
Os medos do coração à alma
Da alma ao corpo.
 Fico sem coragem
Surto que me desvanece
Doença que percorre os dedos
Me esgana o grito
A vida…
Nem o girar do planeta
A voz de um mundo melhor
As crenças e preces mudam o meu olhar.
Nem a mudança de ares, de ano, de silêncios desesperados
Me deram voz ao coração.
Estou ainda muda,
Corroída sobre veios enormes de solidão
Entre paredes escritas com os meus rascunhos
Momentos de loucura
Insanidade quase perfeita
Simbiose.
Entre eu e a tua sombra
Resta isto
Medo de quando tu não estás
Medo da mudança que o vento lá fora não me trás
Doenças que atravessam janelas
Suspiros e espirros de seres que habitam em mim.
Fico por isso sem coragem
Coragem de roubar os meus escritos das paredes
Atirá-las a papeis e vê-la em si vazia
Sem a tua sombra
Sem almas
Tão fria quanto eu
Quando assim me sinto só.
Joana Sousa Freitas
Enviado por Joana Sousa Freitas em 11/01/2006
Código do texto: T97539
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joana Sousa Freitas
Portugal, 40 anos
118 textos (7239 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:03)
Joana Sousa Freitas