Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vestes da alma

Vestes da alma

Rasguei as vestes antigas de minha alma
Para refazer com mais calma
Em tecido mais fino e liso
Sem costuras, sem rugas, sem remendos
Uma vestimenta translúcida e brilhante

Não pensem ser tarefa fácil
Uma tal mudança radical
Nem sei quando foi a última
Pois troquei de roupa tantas vezes
Que esqueci até mesmo de contar

Observei os retalhos todos rasgados
Poídos, sujos, empoeirados.
Alguns pedaços desbotados,
Outros carcomidos pelo tempo
Vestiam minha alma andrajosa

Pensei comigo mesma
Deve ter sido forte a tormenta
Nem das vestes sobrou muita coisa
Apenas baila no espaço
A alma nua, solta, meio confusa

Por ordem do Criador
As tecelãs do Destino
Logo trouxeram vestes novas
Senti-me linda flutuante
Em nova veste exuberante

As vestes de minha alma se rasgaram
As antigas vidas foram repassadas
Nada restou, os capítulos se acabaram
Da história errante de minha alma cigana
Só restam recordações já mutiladas.

A vida da alma na existência é assim
Como uma história sem fim
A cada nova experiência,
A roda da mutação percorre um ciclo
E o espírito pode se refazer do cansaço.
Aradia Rhianon
Enviado por Aradia Rhianon em 03/04/2006
Código do texto: T133181

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aradia Rhianon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1208 textos (87735 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:25)