Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA DA MADRUGADA

Nos encontraremos novamente.

No antes, no durante, no depois
De todas as coisas há uma essência
Imutável e constante.

Na fragilidade de cada momento
Há uma onda que quebra
E outra que se regenera,
Desfazendo o linear e o estático
Da segurança e do conforto.

É a vida. Mínimo denominador
Comum de anseios e sonhos.
Indiscutível, irrefutável
Desígnio do nosso pulsar.

O nó há de se desfazer.
Desatando os nossos medos
Passaremos como esse rio
Para nos encontrarmos novamente.

E, no imenso oceano do Amanhã
Seremos a manhã, a tarde e a noite
Coexistindo naturalmente.

By Jean-Pierre Barakat, 30.04.2006



Visitem meus blogs e deixem seus comentários:
 "Viver e não ter a vergonha de ser feliz"
http://jpbarakat.blog.uol.com.br/
"Do cedro ao ipê"
http://docedroaoipe.blogspot.com/

Visitem meus textos nas páginas:
http://www.usinadeletras.com.br
http://www.recantodasletras.com.br
Jean Pierre Barakat
Enviado por Jean Pierre Barakat em 01/05/2006
Código do texto: T148345
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jean Pierre Barakat
Fortaleza - Ceará - Brasil, 53 anos
111 textos (4960 leituras)
1 e-livros (96 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 17:06)
Jean Pierre Barakat