Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM GRITO DE LIBERDADE...

Deixei invólucro carnal
Corpo recostado, empobrecido
Peso angustiado, tanto mal
Que foi meu companheiro envaidecido

Daqui, eu nada levarei
E um certo aprendizado
Nem mesmo herdar
Penso que herdei

Me prostrarei agora
E serão súplicas à cada hora
Se é que existem horas
Para um pobre Rei

Adorno em meu particular
tormento e as vias do inferno
Estão sim, a me chamar
Câncer da alma...Abismo eterno

Não é tristeza
E sim, simples vazio
Da causa à natureza
Trasladar do cio

Desprendimento fútil
E vida etéria
E um grito lascinante e inútil
Mórbido tempo...Tamanha espera
O Guardião
Enviado por O Guardião em 18/07/2006
Reeditado em 22/11/2007
Código do texto: T196744
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
O Guardião
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
364 textos (34442 leituras)
13 áudios (2409 audições)
2 e-livros (1988 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:27)
O Guardião