Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

garota sozinha no ponto do ônibus

deve-se beber água
mesmo que sem vontade
e isso é muito sério
é sério como a saudade

água é um bem danado
água é castidade
saudade também faz bem
entorta a vaidade

água molha e é saúde
encharca o corpo e nutre
saudade é que nem o abutre
na espera do que vai sobrar

a água sempre revigora
como a saudade que diz
que o choro nunca tem hora
a hora de quem não o quis

a água que bebo é tão linda
tal como a que vem lá do céu
saudade do mar, água ainda
que uso pra encher meu tonel

a água é a bebida mais forte
lúcida e estimulante
saudade é a garota translúcida
a cocaína ambulante

a água me mata de sede,
pois quanto mais bebo, mais quero
saudade me mata de amor,
pois quanto mais sinto, espero

venero a água da chuva
pra mim os seus pingos são mel
saudade é a formiga saúva
da dor que é terna e doce

a água irriga o plantio
saudade o desejo irradia
a água eu bebo e me rio
saudade: chorei mais um dia!

conclusão; agora, falando sério
a gente sente vontade
de beber água,
mas não sente vontade
de ter saudade

que é uma coisa que dá
e às vezes não passa,
diferentemente da sede.
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 13/08/2006
Reeditado em 13/08/2006
Código do texto: T215874

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6596 textos (144490 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:06)