Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Morada

Que a dádiva da vida perdoe a minha ignorância
Tende repúdio das hipocrisias
E justa causa das minhas faltas.

Vida, tende piedade da minha inconstância
E faça prevalecer a lei da igualdade

Minha cegueira é vã
Minhas verdades não estão nuas
Meus braços estão abertos ao que convém
Para abraços que provém...

Minha carne é fraca
Minhas mentiras não estão sozinhas
Mas meu peito está aberto à quem:
Cujo corações ceiam pelo bem...
No fim, sou pagã da inevitável sabedoria.

Vida, dádiva divina...
Quero de ti a constante presença dentro de mim
Creio em ti e a ti confio a alma
Quão latente é a tua verdade
Quão soberana a tua justiça.

Rogo a ti pela minha decência perante a fé
Que sejas dada à palmatória
A minha essência pela tua gloriosa existência.

Nada mais suplico,
Além da tua morada, vida divina...

Gita Habiba
Enviado por Gita Habiba em 29/08/2006
Código do texto: T228072

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Gita Habiba). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gita Habiba
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 39 anos
305 textos (101505 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:33)
Gita Habiba