Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MARCAS DO AMOR

Tema predileto dos amantes, poetas, religiosos, corajosos,

Sentimento cativo dos sensíveis, todas as formas possíveis, cabíveis,

Tão confundido, em vão pronunciado, jamais experimentado,

Amargos corações fechados , cegos , desesperados.


Conhecê-lo precede calma, escancara a alma, a mão, a palma,

No aprendizado gerado pelo Criador ... o amor,

Acima de todas as coisas, não tem cor,

Todo o valor, ao requerer, é preciso aprender.


Amar não é ter, querer ou temer ... menos ainda reter ...

Outrossim, saber, perceber, ser, tão mais viver.

Não é imaginado, idealizado, moldado,

É libertado de todo arado aprisionado ... nutrido, esperançado.


Jamais esgotado, faz – se naturalmente eternizado,

É conjugado de tudo, sem os atributos do apenas ...

Repleto de penas, é culpa, covardia,

Não é só amizade, caridade, paixão, senão, trato ou contrato.


Não é soberba, agonia, nem somente alegria,

Não é feito ou desfeito, por vezes refeito,

Sua marca, eternidade, autoridade na felicidade,

Espontânea fidelidade, alimentado da verdade.


Cabe a lágrima, nunca uma arma; não é pardo, nem fardo,

Ora ópera, bossa nova, valsa, hino, até samba canção,

Sua música, doce expressão, mora nas entranhas do coração,

Possível à nação sem impregnação de destruição, saturada pelo não,


Posto que é sim, vive com você, existe em mim, nunca terá fim.

O amor, invenção vivenciada, exercitada, jamais improvisada,

Perfeição da criação, verbo conjugado de emoção,

Quando partir, levas somente o amor que adquirir .


Do todo que parece tão necessário, o amor vale a pena, o resto, sobrevivência ...

Falência ilusionista de valores opostos, importâncias esquecidas,

Abutres humanos a encher as barrigas, os bolsos, o consumo,

Recheios monetários, vulneráveis, devastadores, mundial receio.


Desconhecer o social anseio, matar por dinheiro, guerra por poder,

Deus, onde Tu estás? E a paz?

Vem, reinventa a humanidade,

Que já não sabe sobre a liberdade.


Estabelece a Tua marca, grande Patriarca,

Traz naquela arca, uma aliança sem vingança,

Com esperança, a quem se souber criança.

O amor que quisestes ensinar ... Ah ! o amor ... quem quisera perfeito ?
Márcia Beatriz Prema
Enviado por Márcia Beatriz Prema em 09/09/2006
Código do texto: T236000

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Márcia Beatriz Prema
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
83 textos (11202 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:51)
Márcia Beatriz Prema