Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lembrando Luís Vieira

          É como um beijo no meu coração,
          é água fria no meu coração,
          apaga o fogo do meu coração,
          acaba aquela infeliz bateção...

Bem tarde eu vou partindo,
Preciso ir embora. Digo até manhã.
Mamãe, eu vou fugindo
atrás de um sabor de hortelã
    (que o Luís Vieira sentiu e cheirou).

Se eu demoro, não tem grilo,
ninguém vai esperar, nem reclamar.

Tá vendo, moço, faça o que quiser
q’eu num tenho nada agora,
eu quero dar nu pé.
Quero andar de madrugada na escuridão
porque a luz ensolarada traz assombração.


Rio, fevereiro de 1974

Obs.: trata-se de uma música do grande compositor Luís Vieira (acredito que seja dele), que admiro muito, e que me motivou a colocar essa letra.
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 21/10/2006
Código do texto: T269703

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6596 textos (144499 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:49)