Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sombreado

          fogo forte
          faz o clarão
          riso faceiro
          pé do pinheiro

sob essa árvore
a sombra reduz
a minha pujança
o meu corpo nu

          subo na sombra
          atrás de esperança
          mas escorrego
          no verde da folha

ergo aos céus
um gesto, uma súplica
mas o que vejo
é um velho avião

          caio no chão
          as flores debocham
          mas uma me dá
          um beijo e se vai

olho pros lados
o nevoeiro
me pede de novo
pra ler o jornal

          passa um menino
          todo de azul
          será o Chalalá
          ou uma invenção?

outro menino
todo de branco
traz a cabeça
do mundo entre as pernas

          e a formiga
          segue solene
          pro seu casamento
          com o jovem Jamel

levanto-me aflito
não acho os sapatos
foi o gafanhoto
que os escondeu

          a sombra no mato
          agora ignoro
          a chuva de fato
          é o que imploro

a sombra da árvore
ainda me fala
pra não desistir
não lhe dou ouvidos

          ainda o que quero
          é o abraço infantil
          de alguma Teresa
          pois sou imbecil


Rio, 07/05/2006
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 23/10/2006
Reeditado em 23/10/2006
Código do texto: T271119

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6596 textos (144474 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:14)