Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ME DOANDO**

Vou andando e me doando.
Ao final não quero sobras.
Nada.
Não quero mágoa,
máculas na alma,
nódoa na roupa.
Limpidez, transparência. Lucidez é a meta

Não quero voltar  pra consertar,
botar acento,
circunflexo,
revisar a gramática,
desentortar linhas incertas,
aprumar o pêndulo
acertar o relógio.
O tempo é só um vento ligeiro. Passageiro.

Vou indo sem máculas.
Minhas marcas são leves,
como passos de criança na areia.
Pecados não aderem à minha’alma
eles se esvaem pelo ralo. São nada.

Não quero deixar carma,
ter que voltar
pra fazer remendos,
calar ais e curar cortes abertos.
Vou deixar tudo quitado:
dívidas poucas
e zerada as dúvidas.
Paz é herança e legado.


cp-araujo@uol.com.br
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 12/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T33437

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32928 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:33)