Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A jovem mãe


Era uma jovem mãe que vivia quase só
em sua choupana que sugeria dó.
Com paciência quase de Jó
criava seu filho e cuidava da avó.

A vida não lhe sorria, lhe ria,
e a fome que não merecia,
só vencia
porque alguém sempre lhe valia.
Era assim que a jovem vivia.
Vivia?

Pai, não sabia se ainda tinha.
Mãe, só quando dela precisava, vinha.
Mesmo pouco sendo e tendo,
sentia-se rainha.
A comida, escassa, esbelta lhe mantinha
e seu semblante lembrava uma santinha.

Ao receber, na choupana, um ancião
que pedia comida, ou migalhas de pão,
tirou o que tinha e com devoção
entregou seu bocado para aquele irmão.
A jovem era assim, de bom coração.

Sonhava até com uma vida decente
e seus planos e tesouro guardava na mente.
Triste, pensava:
- Meu Deus será que sou gente?

Segurando seus trapos seguia em frente,
às vezes, parecendo um tanto demente...

O pequeno no colo e a avó amparando,
estando cansada seguia arrastando.
Descansando estando,
continuava trabalhando.

Em outros momentos se via rezando.
Seus dois tesouros zelava amando.

O filho crescia e em seu colo pesava,
a avó já não ouvia e também não enxergava.
Sua sina cumpria e, por vezes, lembrava
da força que vinha e que lhe amparava.

Em seus sonhos uma Luz
Explicava-lhe sua cruz:

- Alguém que hoje você bem conduz,
amanhã, sorrindo-lhe, vem e lhe reluz.
Poeta Devany
Enviado por Poeta Devany em 03/11/2005
Código do texto: T66958

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta Devany
São Paulo - São Paulo - Brasil, 64 anos
56 textos (3312 leituras)
3 áudios (184 audições)
1 e-livros (29 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 00:53)
Poeta Devany