Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM CASO REAL [UM LINDO AMOR DE VERDADE]


AVISO E EDITAIS - CLASSIFICADO TRANSCRITO DO JORNAL O ESTADO DO MARANHÃO - PÁGINA 06 - PUBLICADO NO DIA 05 DE SETEMBRO - SEXTA-FEIRA - 2003. 

[AVISO. T.3235-0000]
PROCURO "ESCARLET O'HARA", QUALQUER INFORMAÇÃO SOBRE ESTA PESSOA ENTRAR EM CONTATO NA RUA DOS AMORES, N. DA SAUDADE E DA RECORDAÇÃO - RIBEIRÃO. HUMPHREY BORGAT] - NOTA: TODOS OS NOMES MENCIONADOS SÃO FICTICIOS.

POEMA

Amor raro amor de O'hara.
Amor de cinema, amor sublimal.

Amor! Amor!
Amor d'uno dipétalo, 
aqueloutro dadivoso ateneu cardinal.

Amor de prelado sacrossântico Saphyra, amor luso Cardeal.

Amor! Amor!

Amor do tipo que o destino traçou feito acaso.

Amor sempterno amado.

Amor contido,
Amor ausente vivido na vida presente diviso.

Amor benfazejo.

Amor!

Amor terno, suave, afeito,
Amor verdadeiro amado!

Amor maior do mundo
que o moinho invisível sem despedida [sem a cerimônia do adeus] a roda gira do tempo levou.

Amor de verso e canto, amor romântico.

Amor Shakespeareano impresso, 
anunciado, em manchete anunciando ao mundo às folhas classificadas do jornal
Que o amor sobrevive eterno a tudo.  



NOTA DE ESCLARECIMENTO: POR SE TRATAR DE UM CASO VERÍDICO, OBJETIVANDO RESGUARDAR AS PESSOAS ENVOLVIDAS, MORMENTE, AS RESPECTIVAS FAMILIAS, É QUE TODOS OS NOMES MENCIONADOS NO BOJO DO TEXTO SÃO FICTICIOS.

O POEMA TEM COMO FOCO O AMOR ENTRE DUAS PESSOAS QUE NÃO OBSTANTE SE AMAREM VERDADEIRAMENTE, POR DESÍGNIOS DO DESTINO NUNCA MAIS VOLTARAM A SE ENCONTRAR. AMBOS SE CONHECERAM AINDA BEM JOVENS, PASSARAM A SE ENAMORAR, TODAVIA, DECORRIDOS ALGUM TEMPO, POR MEXERICOS [TERMO MUITO USADO NA ÉPOCA] ROMPERAM COM A RELAÇÃO. ELA CASOU, VIVEU, TEVE FILHOS E FICOU VIÚVA, SEMPRE NA ESPERANÇA DE ENCONTRÁ-LO E VIVER AO LADO DO SEU VERDADEIRO AMOR. CONTUDO, NO ANO DE 2000 ELA FALECEU, SEM TÊ-LO ENCONTRADO. ELE, POR SUA VEZ À ESPERA DO SEU AMOR, ATÉ HOJE COM MAIS DE 80 ANOS NUNCA CASOU. UM DIA, EU QUE SOU FILHO DELA, SEM NUNCA TER MUITA INTIMIDADE, DIGAMOS, ASSIM, COM O CADERNO DOS CLASSIFICADOS DE JORNAL, SEM SABER O QUE ATÉ HOJE ME LEVARA NESSE EXATO DIA, DIANTE DE UM JORNAL FECHADO SOBRE A MINHA MESA IR DE PRONTO AO CADERNO DOS CLASSIFICADOS, E ASSIM, FOLHEÁ-LO, EIS QUE ENTÃO AO PASSAR A VISTA NA PÁGINA 06 DO CADERNO, OLHEI O NOME DA MINHA MÃE IMPRESSO. INCRÉDULO, VOLTEI A PÁGINA E ENTÃO ME DEPAREI COM O INUSITADO ANÚNCIO ACIMA TRANSCRITO. O ANÚNCIO FOI PUBLICADO APÓS 3 ANOS DA MORTE DA MINHA MÃE. ATÉ ENTÃO, COMO ELE APÓS O ROMPIMENTO DO NAMORO AINDA NA MOCIDADE NUNCA MAIS VEIO A ENCONTRÁ-LA, A TER NOTÍCIAS DA SUA AMADA, TAMBÉM NÃO SABIA DA SUA MORTE. HOJE, AINDA À ESPERA DO SEU ÚNICO E VERDADEIRO, SOZINHO, CHORA!  





 
serraomanoel
Enviado por serraomanoel em 04/10/2007
Reeditado em 10/08/2008
Código do texto: T679711

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
serraomanoel
São Luís - Maranhão - Brasil, 57 anos
1502 textos (160819 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:41)
serraomanoel