Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

IGNORÂNCIA NO HOMEM!



Tanta ignorância
Tantas vidas ceifadas
Rios de sangue espalhados
Nas ruas impolutas das cidades.
Homens sem caras, afoitos!
Sem almas, derribando sorrisos,
velando a maldade, acessa no tempo;
Tempo! De desamor e crueldade.

Homem de barro, de carne, modulado pelas as mãos
do escultor divino, rico em sonhos, pensador nato,
dono dos bens materiais provisório, amigo quando
quer e tão egoísta, sem crença na consumação real
do amor e da paz. Homem vida! Homem morte!
Morte! Nas escuras vagas, incorporada a realidade
humana e armada pela incompreensão, sedenta por
moedas e poder e tão pequena em amor e sapiência.

Ó homem e homens! A vida é relicário de ouro, vaso de
Deus, candeia do ontem e do hoje, e vós! Esquece que,
cada vida ceifada por tuas mãos, deixa um lago de
lágrimas e um rio de esperança, é enterrado no
coração das famílias que prejudicastes e certamente,
serás amaldiçoado no agora e enquanto fores lembrado
Por aqueles a quem feristes.
Homem e homens! Acordai enquanto é possível, entra
na luz do amor e ela, te levará ao encontro de Deus e nele;
Poderás viver eternamente sem morte e sem dor. Matas o
corpo sobrevive à alma, sem que a miséria desfaça-se e
sem que a maldade vença em definitivo a vida. Amas e
Serás amado e lembre-se: A alma é pássaro vivo na
gaiola do corpo e fluido do tempo universal e um dia, verás
o quanto fostes fraco e o quanto, vivestes confuso em tua
sede de violência e desamor  ai! Será tu o ferido a chorar.





luizpoetista
Enviado por luizpoetista em 16/10/2007
Código do texto: T696590
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
luizpoetista
São Paulo - São Paulo - Brasil, 60 anos
1414 textos (105254 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 06:26)
luizpoetista