Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Oh, não te digas. Não te digas de mim!

Oh, não te digas. Não te digas de mim
Não corra o risco de que sejas pior
Apesar de que nada será, deixe assim
Não te digas de mim, não seja menor.

Pra que tua batina, tua cruz sem valor
Pra que a mentira, não te digas de mim
Fiel a teus prazeres - Ou tormentos, melhor -
Não mintas, não o seja pra sempre assim.

E pensar que um dia, enganado, eu era
A criança que ali lhe contava meus segredos
E pensar que ao contar minha diva de vera
Era enclausurado, preso entre meus medos.

Somente na morte lhe encontrarás... e fim!
De valor nulo, será sempre tu e tuas irmãs
Oh, verme! Pra que mentir, pra que assim
Se és, por tudo, a própria imagem de Satã?
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 24/11/2005
Código do texto: T75673

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
958 textos (30823 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:21)
Júnior Leal