Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO. CAP. 20.

O vinho é escarnecedor, e a bebida forte excitante;
E não é sábio quem neles errar.
Como o bramido do leão é o terror do rei;
Peca contra sua vida quem o provocar.

Para o homem, o desviar-se de questão é honroso;
Mas todo insensato se intromete nela.
No outono não lavra o preguiçoso;
Pelo que nada receberá, e mendigará na sega.

Como águas profundas é o propósito no coração do homem;
Mas o inteligente o descobrirá.
Que proclama a sua bondade há muitos;
Mas o homem fiel quem achará?

Na sua integridade anda o justo;
Bem-aventurados serão depois dele os seus filhos.
Para o juízo, assentando-se o rei no trono,
Com os seus olhos joeira a todo ímpio.

Quem pode dizer limpo estou do meu pecado,
Purifiquei o meu coração?
O peso fraudulento e a medida falsa,
Tanto um como outro, ao Senhor é abominação.

Até a criança pelas suas ações se dá a conhecer,
Se a sua conduta é pura e reta.
O ouvido que ouve, e o olho que vê,
Que o Senhor os fez a ambos, é coisa certa.

Para que não empobreças, não ames o sono;
Abre os teus olhos e te fartarás de pão.
Nada vale, nada vale, diz o comprador;
Mas, depois de retirar-se, gaba-se, então.

Há abundância de pedras preciosas e ouro;
Mas os lábios do conhecimento são jóias de grande preço.
Tira a roupa àquele que fica do estranho fiador;
E toma penhor daquele que se obriga por estrangeiros.

Suave é ao homem o pão da mentira;
Mas a sua boca se enche de pedrinhas depois.
Os projetos, pelos conselhos se confirmam;
Assim, com prudência faz a guerra, pois.

O que revela segredos, mexericando anda;
Pelo que com quem muito abre seus lábios não te metas.
O que amaldiçoa a seu pai ou a sua mãe,
Apagar-se-á a sua lâmpada nas mais densas trevas.

A herança que no princípio é adquirida às pressas,
No seu fim, abençoada não será.
Vingar-me-ei do mal, não digas.
Espera pelo Senhor, e ele te livrará.

Ao Senhor são os pesos fraudulentos abomináveis;
E balanças enganosas, boas não são.
Do homem são dirigidos pelo Senhor os passos;
Como, pois poderá ele entender o seu caminho, então?

Laço é para o homem dizer precipitadamente: é santo.
E, feito os votos, então ponderar.
Joeira os ímpios o rei sábio;
E faz sobre eles a roda girar.

O espírito do Senhor é a lâmpada do homem;
O qual todo o mais íntimo do coração esquadrinha.
A benignidade e a verdade guardam o rei;
E com a benignidade o seu trono se firma.

A força é a glória dos jovens;
E as cãs, a beleza dos velhos.
Purifica do mal, os açoites que ferem,
E as feridas que até o mais íntimo do corpo penetram.
oliprest
Enviado por oliprest em 21/10/2007
Código do texto: T703960
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
1905 textos (175836 leituras)
245 áudios (2447 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 13:05)
oliprest

Site do Escritor