Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Onde Mora o Amor


“E por se multiplicar a iniqüidade, o amor de quase todos esfriará”.
(MAT. 24.12)

Muito se fala da falta de amor,
mas de qual amor se reclama?

Este vácuo afetivo é manifesto quando não se
é amado ou quando não se tem o
amor para amar?

Amor, o substantivo, banalizou-se,
corrompeu-se tão profundamente que
metamorfoseou–se em jargão e, como tal,
caiu na boca do povo.

Não há nenhum transtorno quando se
ouve frases de efeito, tais como:
“O amor está no ar”.
É perceptível a tênue membrana da
hipocrisia.

Amor, o sentimento, traduz sinônimo de
paixão e prazer, e nesta babel, tentam
fabricar o amor, confundindo esta ocasião
azada de êxtase com a essência e a
sublimidade de amar.

O que “experimentamos” no ar, na
linguagem, nos objetivos, nas canções e
na falta de esperança é uma superficialidade e
futilidade tal das afeições que, qualquer
relacionamento consistente
é tomado por asneira.

Há um melancólico conformismo
e um leve adejar no existir.
E, chamam isto de “filosofia de vida”.

Talvez, a realidade não é a ausência, e
sim, onde mora o amor.

O dor daqueles que são feridos pela
solidão os posicionam na contramão da
essência do amor. Sentimento famoso na oratória e desconhecido em muitos corações.

O amor não é feitura humana, e sim, um
encontro que nasce no âmago do ser,
floresce no espírito e revela-se na alma.

Não está fora do ser, pelo contrário, o
explica.
O amor é luz que refulge para um
amanha de certezas.

É “UM NOVO NASCIMENTO”.
É um brotar para Deus, expressão viva do amor.

E quando o amor de Deus embala a vida,
não há lágrimas pela carência de afeto.

A linguagem do amor não é mero eco que
ressoa sem personalidade!

Quando se ama, o êxtase e a paixão
deixam de ser mecanismo de
satisfação do corpo para ser
ajuntamento idôneo da criação.

Amando desta forma, a vida tem um
novo gosto;
Gosto de ser, de estar e de sentir.





Paulo Cezar Santos
Enviado por Paulo Cezar Santos em 22/10/2007
Código do texto: T705134

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Cezar Santos
Aracaju - Sergipe - Brasil, 60 anos
109 textos (13675 leituras)
2 e-livros (70 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 10:50)
Paulo Cezar Santos