Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anos Dourados

Minhas mãos velhas tateiam às cegas,
olhos prostrados pelas duras fadigas,
mãos quentes e sempre tão sensíveis,
conhecem experiências inesquecíveis!

Ainda que mil raios de sol se apagassem,
o véu cascata de noiva não mais cantasse,
que o rugir dos mares de sal se acabassem,
morreria tão feliz como aquele que nasce,

chorando,gemendo, vou em gritos brincando,
para, e tão somente apenas mirar o sereno
em raro frescor e doçura levemente caindo,
fazendo meu semblante enrugado mais ameno!

Tropeçam meus pés calejados pelo destino
 minh’alma contudo perfumada ganha asas,
vôo infinito ensaia, muito além do oceano,
transcenderá ao mundo ardente das brasas!

Se parei? Nunca.Prosseguirei sem ver o fim,
eis que o horizonte sublime não me permite,
os sinais à distância remota são vida de mim,
a mim retornando, é o futuro num presente!

Finalmente, sossegadamente, vem a calmaria
outrora sonhada,sabia que um dia ela viria,
sonhos sonhados e postergados eu mentalizo
para colher frutos no outono que tanto prezo!

Santos-SP-29/03/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 29/03/2006
Código do texto: T130255
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23415 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 03:58)
Inês Marucci