Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRIBUTO AO AMOR ANCESTRAL...

Homenagem aos meus avós paternos: ele Pirata e ela Cigana!!!

Extradição de corpo e alma
Desgarrado e como nada
Sem paz, nem harmonia
E o mar em seu balanço
Só confusão lhe trazia
Jovem, herdeiro e derradeiro
Castigados os instantes
Espírito altaneiro

Do outro lado, a terra
Bem perto da vida, ao Sul
Flor de encanto e beleza
Bailando na natureza

Um céu, ao encontro dos dois
De brilho tão cintilante
Traçando trilha arredia
De um futuro não distante

Após cansaço ao navegar
Ao estranho Porto chegou
Estranha também era língua que ouvia
O seu coração palpitou

Aqui estás jovem sofrido
Banido da terra que não te quis mais
Vais, desata fel corrompido
Pois casa, não verá jamais

Uma estranha voz lhe disse então

Galego, filho europeu
Das terras do além mar
Crê no destino que é teu
Rumo ao Sul, há de encontrar
Com vida nova e a certeza
Da mulher de tal beleza
Que ao cruzar o teu caminho
Chamar-te-á com carinho
Pra dançar à natureza

E às terras ditas, chegou
Ao longe
Luz do fogo avistou
Sede e fome, ele sentia
E àquela tribo pedia

Dai-me pão para comer
Vinho também se tiver
Sou guerreiro, cavaleiro
Mas a vida cobriu meu nome
Se entendes o que digo
Mata a fome e dai-me abrigo
Ou somente o que puder

Foi aí que de repente
À luz daquelas chamas
Bailando singelamente
Viu princesa à sua frente
A mulher de tal beleza
Que a voz lhe disse um dia
Com esperança e alegria

E o seu íntimo chorou
Olhos nos olhos a fitar
Ah, sensação do amor
Que arremata toda a dor
Que trouxe você pra me amar

Desafio foi lançado
Pois só a terás ao conquistar
A honra que outrora perdera
Lá nas terras do além mar

Viu-se então novo guerreiro
Catalão forte e bravio
Era o homem derradeiro.
Que empunhou faca de fio
Para por ela duelar

Mais nada foi necessário
Pois ancião sábio e visionário
Viu futura geração
E o casal chamou então
Para perpetuar o momento
Que mais tarde o sentimento
Fez a linhagem selar
E o coração do guerreiro
E o coração da princesa
Fizeram soar os clarins
Para nascer almas afins

E das páginas do apogeu
Avós, pais
Agora eu
E um filho para amar
Pois herdeiro de forte nome
Tem o mundo a desbravar

No céu dançam agora
Aqueles dois enamorados
Pirata e Cigana
Já é hora
De habitar casa terrena
Pois a volta só vale a pena
No seio familiar
Legado
Que a ti casal
É débito milenar


 
O Guardião
Enviado por O Guardião em 01/06/2006
Reeditado em 31/08/2006
Código do texto: T167357
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
O Guardião
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
364 textos (34437 leituras)
13 áudios (2409 audições)
2 e-livros (1988 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:13)
O Guardião