Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma Estadia num Bordel


Às vezes, lembro-me dos tempos em que era solteiro,
Das diversas promiscuidades cometidas sem freio algum,
Dos diversos corpos, sem rosto, que cruzaram o meu caminho,
Do sexo, das carícias, do suor, dos gastos de dinheiro
Com prostitutas feias e bonitas que coloquei no meu ninho.

Admito que era frequentador assíduo de um pequeno bordel,
Que era repleto de álcool, de luzes coloridas, um universo fumacento,
Contemplava as mulheres dançarem, seminuas, num palco de cimento,
Rebolavam de todas as maneiras, agarradas a diversas barras de metal,
E, depois, dirigiam-se as nossas mesas e subiam nelas, com moral.

Lá iniciavam uma dança mais sensual ainda, coisa que não esqueço,
Pediam para que colocassemos sprays com cremes de chocolate
Ao longo de todos os corpos expostos e sem nenhum respeito
Imploravam para que lambêssemos seus corpos, julgavamos uma arte.

E, enfim, depois de várias horas de promiscuidade,
Escolhíamos as melhores mulheres para que acabassemos a noite
Num motel de terceira categoria e tivessemos uma particular pernoite,
E, por conseguinte, satisfizessemos os nossos mais sujos desejos.

Hoje tudo isso é apenas passado...
Memórias de uma juventude corrompida e proibida,
Que depois que conheci a minha amada deixei de lado,
Eis a mulher que me retirou da sujeira daquela vida.
Portanto, lembro-me daquele tempo não com um sorriso
E sim com um profundo e destruidor remorso no meu espírito.
Mas, graças à Deus, hoje tudo isso é apenas passado...




Todos os Direitos Reservados pelo Autor.
Fábio Pacheco
Enviado por Fábio Pacheco em 24/06/2006
Reeditado em 28/06/2006
Código do texto: T181494
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fábio Pacheco
Recife - Pernambuco - Brasil
1098 textos (55967 leituras)
10 áudios (233 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 02:15)
Fábio Pacheco