Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Auto-punição

Desde que me deixaste, vivo em arrependimento fatal
das tantas coisas que omiti, como se possível fosse,
não ouvir o ris'inocente de flores cantando no rosal
e disfarçar os perfumes que exalam quando amanhece,

tão pouco de ter relaxado tantos brados fragrantes,
tragicamente abortados num corpo, à boca submissa;
eu sempre à espera do momento futuro e conveniente,
qu’os lábios selavam deixando amargor na lembrança!

Tirano de mim mesmo, também a ti confinei degredo,
surdo às melodias secretas dos Mistérios exordiando
e agora,sou o pranto no mar seco de lágrimas mortas!

Despenquei a expectativa que nos fari'almas libertas,
peregrinas virgens da solidão,por ter num dia infeliz,
aplacado a bravura d’amor pleno de quem só me quis!

Santos-SP-10/07/2006

Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 10/07/2006
Código do texto: T190971
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23416 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:07)
Inês Marucci