Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tempos Passados

Havia um tempo...
Que nada importava...
Que os sonhos...
Eram apenas pular amarelinha no dia seguinte...

Havia um tempo...
Que as lágrimas...
Eram de birras...
Para consigir o alvo desejado...
Que era sempre alcançado...

Esse tempo passou...
Não sou mais criança...
As responsabilidades cairam...
Sobre minha cabeça...
Sobre meus sonhos...

Hoje almejo novamente...
Ser a criança...
Sonhadora e sem resposta...
Que já fui...
Mas o tempo...
Passou tão depressa...
Tão sem sentindo...
Que aqui estou eu...

Sem tempo...
Sem sonhos...
Sem lágrimas...
Tudo foi desperdiçado...
No meio do caminho...
Tentando chegar mais longe...

Hoje percebo...
Que não brinquei o suficicente....
Não cai o necessário...
Não corri o preciso...
Não fiz os bolos de terra.
Necessário para saciar minha fome...
Fome...
De sonhos...
De fantasias...
Não visitei a terrra do nunca...
Não gravei o nome dos duendes...
Apenas sinto que queria crescer...

Hoje cresci...
E estou aqui...
Lendo os antigos contos de fadas...
Esperando o principe encantado...
Tentando encontrar a fada madrinha...
Que transforme minha vida...
Novamente em um sonho...

Mas houve a adolescência...
E sinto que também que não vivi...
Pensando em ser adulta...
Em estudos...
Em trabalho...
Hoje percebo...

Os beijos que perdir..
Os amigos que não conquistei...
Os amores que não salvei...
Os prazeres que me privei...
As poesias que não escrevi...
Querendo crescer...
Ser adulta...
Ter responsas...

Hoje estou aqui...
Lendo os velhos conto de fadas de novo...
Pois os livros acadêmicos...
Não envolve...
Não seduz...
Não fascina...

Brincando com as bonecas...
Pois os tempo de prazer acabou...
Não há mais sentimento...
Vida...
Ou sonho...

Procurando amigos...
Pois as pessoas não tem tempo...
Para serem amigas...
Sempre correndo...
Atrás do tempo...
Atrás do sonhos...
Mas que sonhos...
Inclusive eu...

Amores...
Amores sinceros...
Que não sejam envolvidos...
Na traição...
Na mentira...
Na ambição...

Desejos...
Desejos de viver...
Novamente e aproveitar...
O tempo perdido...
O tempo que escorreu entre o dedos...
Feito área numa tempestade...
Voa sem direção...
Mas nunca mais retorna a sua origem...
Sempre se movendo...
Para mais longe....

Hoje noto que podia ter vivido mais...
Ter amado mais...
Mas corro atrás do tempo...
Como uma adolescente desvairada...
Correndo atras de um sonho...
Apenas hoje posso sonhar...
Pois acordei...
E aprendi que perdi muitas coisas...
Que não quero novamente perder...
Que não quero novamente deixar...
Escapar entre os vão dos meus dedos....

Por isso vivo hoje...
O que não vivi ...
Quando criança...
Ou quando adolescente...
Mas é melhor correr ...
Atrás do tempo perdido...
Do que ficar...
Chorando pelo o que foi e não volta...
Então estou vivendo...
Minha adolescência
E minha infância...
Para alcançar minhas metas...
De realização pessoal....
De realização dos meus sonhos...
Da realização do meu futuro...
Do meu passado...
E do meu presente...
Pois não somos completos...
Se pulamos as estapas...
De nossa vida...
E hoje...
Viverei o que perdir....

Bruxa do Silêncio
Enviado por Bruxa do Silêncio em 30/09/2007
Reeditado em 30/09/2007
Código do texto: T675201

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Bruxa do Silêncio
São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil, 34 anos
111 textos (4536 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 06:31)
Bruxa do Silêncio